Categorias do Blog

Negócios Sociais e de Impacto presente no XLI Encontro da ANPAD – EnANPAD 2017

Edson Sadao, Graziella Comini e Maria Flávia Duarte – professores da Rede do Programa Academia – apresentaram seis trabalhos de pesquisa no XLI Encontro da ANPAD – EnANPAD 2017. Ao todo 2 artigos sobre Negócios de Impacto e 14 sobre Negócios Sociais foram submetidos para o evento, realizado entre os dias 1 e 4 de outubro.  Confira a relação deles abaixo:

 

Negócios de Impacto

Breve descritivo: a pesquisa analisou dois negócios de impacto e encontrou que embora sejam enquadrados conceitualmente como negócios promotores de impacto social positivo, tanto a Clínica Popular SiM quanto o Banco Palmas não apresentam tantas práticas sustentáveis. Para os autores, há um longo caminho de aprimoramento no que se refere à incorporação dos conceitos de sustentabilidade em suas práticas organizacionais.

 

Breve descritivo: o trabalho buscou responder como a atuação dos negócios de impacto social pode potencializar o desenvolvimento de inovações sociais, investigando 24 negócios de impacto considerados referência na geração de inovações sociais segundo o Prêmio Empreendedor Social – organização Folha de São Paulo e Fundação Schwab.

 

Negócios Sociais

Breve descritivo: O artigo analisa a relação entre os objetivos sociais e econômicos em negócios sociais e, adicionalmente, se negócios tradicionais também lidam com estes aspectos.  Empreendimentos que se auto intitulam como negócios sociais, mas  que priorizam o lucro em detrimento de seus objetivos sociais, podem de fato receber esta denominação?

 

Breve descritivo: O Prof. Edson Sadao em conjunto com outros autores apresentou os resultados de um estudo bibliométrico complementado por uma análise sistemática de literatura que teve como objetivo captar, sistematizar e analisar a produção científica internacional e nacional acerca de Negócios Sociais (NS). Para atingir esse objetivo, foram analisados 247 artigos acadêmicos sobre o tema.

 

Breve descritivo: O estudo analisou os principais fatores que influenciam a avaliação de negócios sociais: Potencial de Impacto; Perfil do Empreendedor; e Sustentabilidade econômico-financeira. Através da análise destes elementos, buscou-se contribuir com uma nova base de análise para futuras investigações e pesquisas, além de descrever o perfil do empreendedor social brasileiro incentivado pela Yunus Negócios Sociais.

 

Breve descritivo: Na pesquisa, foram estudadas as trajetórias dos 13 fundadores de quatro negócios sociais – 2 de base tecnológica e 2 da área da saúde – que vem conseguindo resultados reconhecidos publicamente em Alagoas, destacando as experiências vivenciadas, desde a constituição do negócio à sua consolidação.

 

Breve descritivo: O texto busca compreender as vivências laborais em um negócio social localizado no Nordeste brasileiro. À luz da psicodinâmica do trabalho,  foram entrevistados três colaboradores da Rede Alfa, depreendendo-se dessas entrevistas que existe uma dificuldade de aceitação do termo “negócio” na Rede, o que provoca problemas de identidade que atingem as relações de trabalho.

 

Breve descritivo: O trabalho tem como objetivo apresentar modelos de mensuração de impactos sociais e destacar a importância dos mesmos, que são demandados por empreendimentos que possuem a necessidade de obter seus resultados organizados para conseguirem atrair investimentos. A análise traz à tona modelos que podem ser úteis para diferentes negócios que objetivam causar impacto, de modo que possam construir seus próprios modelos de mensuração e assim captar recursos.

 

Breve descritivo: O artigo traz o consumo colaborativo como possibilidade de inovação social, respondendo ao questionamento de se o consumo colaborativo é hoje uma nova direção para os negócios ou ele significaria apenas um caminho temporário para enfrentar momentos de crise econômica.

 

Breve descritivo: Em conjunto com outros autores, a Profª Graziella Comini buscou  entender a percepção e conhecimento dos alunos de administração da FEA-USP sobre o tema negócios sociais. Realizou-se um levantamento quantitativo com uma amostra de 515 alunos do curso de graduação em administração de empresas da FEA USP. Na opinião dos autores, há uma lacuna no ensino de administração na formação de gestores para empreendimentos sociais e existe uma grande demanda dos jovens administradores por conhecimentos que lhes habilitem contribuir para a consolidação desse tema.

 

Breve descritivo: No artigo, a Profª Maria Flávia Duarte e outros autores discutem o novo campo de negócios sociais na cidade de Belo Horizonte, verificando quem são os atores e quais ideias-força os motivam na delimitação de seu espaço nesse novo quadro.

 

Breve descritivo: O trabalho traz a perspectiva da Profª Graziella Comini e de outros autores em relação ao interesse de estudantes de administração em atuar profissionalmente em negócios sociais e os fatores que influenciam essa decisão. Através de uma survey com alunos de administração de três IES de São Paulo,  o estudo apontou que mais de um terço dos respondentes demonstraram intenção em atuar em negócios sociais.

 

Breve descritivo: O artigo busca responder à seguinte questão: como se configura um negócio social no modelo Yunus em contexto brasileiro e seu potencial como alternativa a empresa capitalista? Os resultados da pesquisa indicaram para um processo ainda de estruturação e experimentação deste modelo organizacional, ainda que os negócios sociais apontem para desenhos organizacionais consistentes e com potencial de crescimento, capazes de se firmar como uma alternativa para a inclusão social, redução da pobreza e a construção de sociedades mais justas e sustentáveis.

 

 

Breve descritivo: Nesse estudo, a Profª Graziella Comini e outros professores analisaram como empreendedores criam negócios sociais no Brasil.  Através de entrevistas com os fundadores de três negócios sociais: Solidarium, Banco Pérola e Saútil, os autores perceberam que as empresas foram criadas com base em estratégias emergentes, ou seja, baseada na adaptação oportuna diante das circunstâncias apresentadas pelo ambiente. Entretanto, os empreendedores utilizaram como guia de orientação sua missão social para escolher entre as alternativas que se apresentavam, evitando tomar decisões puramente reativas.

 

Breve descritivo: O objetivo desse estudo é entender os desafios enfrentados pelas organizações do terceirosetor ao se diversificarem, incorporando Negócios Sociais. A análise do caso do  CDI (Comitê de Democratização da Informática) identificou como a organização vem respondendo aos desafios do crescimento continuo e da existência continuada, além de ter permitido a construção de um quadro análise que pode contribuir para a reflexão dos gestores desse tipo de organização.

 

Breve descritivo: Realizado pela Profª Graziella Comini e outros autores, o estudo mapeou a produção científica nacional e internacional dos últimos quinze anos sobre empreendedorismo social e negócios sociais. Foram analisadas seis bases científicas, sendo três internacionais (Scopus, EBSCO e ISI Web of Knowledge) e três nacionais (SciELO, Spell e EnANPAD). Diante dos resultados, foi possível identificar que a produção científica sobre o tema se intensificou nos últimos seis anos, mas ainda está em processo de construção e necessita base conceitual e autores referenciados para que possa alcançar níveis superiores de contribuição para o desenvolvimento do estado da arte deste campo do conhecimento.

0 Comentários

Deixe o seu Comentário!

ICE – Instituto de Cidadania Empresarial | by