Notícias

Notícias

Pesquisa do GIIN aponta evolução mundial do investimento de impacto

Dinâmico e em constante evolução, o mercado mundial de investimento de impacto movimentou cerca de US$ 114 bilhões em ativos em 2016. Esse valor foi apontado pela Global Impact Investing Network (GIIN) www.thegiin.org na sétima edição da Annual Impact Investor Survey.

A pesquisa baseia-se na análise das atividades de 209 das principais organizações de investimentos de impacto no mundo, incluindo gestores de fundos, fundações, bancos, instituições financeiras de desenvolvimento, family officers, fundos de pensão e companhias de seguros. Os entrevistados responderam a perguntas sobre suas atividades desde o início e em 2016, bem como sobre seus planos para 2017.

O levantamento apresenta as perspectivas dos investidores sobre questões-chave importantes para o setor de investimentos de impacto, bem como a análise de sua atividade de investimento, alocação de ativos por geografia, setor e instrumento de investimento, prática de medição de impacto e desempenho. Pela primeira vez, o GIIN também examinou as perspectivas dos investidores sobre os atuais tópicos do mercado, como a segmentação do mercado, o papel do capital com taxa abaixo do mercado em investimentos de impacto, a entrada de companhias financeiras de grande escala no mercado e o impacto no investimento em ações públicas. Novos tópicos também incluem o compromisso dos investidores com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

O GIIN é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao aumento da escala e da eficácia do investimento no impacto. Os investimentos de impacto são feitos em empresas, organizações e fundos com a intenção de gerar impacto social e ambiental ao lado de um retorno financeiro. O GIIN constrói infraestrutura crítica e apoia atividades, educação e pesquisa que ajudam a acelerar o desenvolvimento de uma indústria de investimentos de impacto coerente.

Clique aqui para acessar o relatório completo da pesquisa.

Indicadores

  • Investimento de impacto no mundo: AUM US$ 114 bilhões (35% CAGR – 3 anos) / 209 players
  • Investimentos de US$ 22 bilhões em 2016
  • 54% desse valor (US$ 61 bilhões) via Fundos de Investimento, 19% Fundos de Pensão/Seguradoras. 13% Bancos Multilaterais e 7% bancos
  • Principais investidores via fundos: 32% instituições financeiras, 21% pessoas físicas e 19% fundos de pensão
  • Instrumentos: 44% Dívida / 33% Equity / 22% Real State
  • 63% do AUM geridos por investidores com sede em países desenvolvidos
  • 66% dos investidores buscam retorno em linha com a média do mercado
  • 55% do AUM investidos em empresas não maduras (apenas 6% em seed/early stage)
  • Alocação por setores: Habitação 22%, Serviços Financeiros 22% (12% microfinanças), Energia 13%.

Destaques do relatório

  • Em 2016, os entrevistados viram o progresso em indicadores-chave do crescimento da indústria, como a disponibilidade de profissionais qualificados, dados sobre produtos e desempenho e oportunidades de investimento de alta qualidade.
  • A pesquisa revela que as organizações continuam enfrentando desafios relacionados à disponibilidade de capital apropriado de diferentes tipos e à falta de vocabulário compartilhado para definir e segmentar a indústria.
  • No total, 205 entrevistados investiram US$ 22,1 bilhões em quase 8 mil investimentos de impacto em 2016 e planejam aumentar o capital investido em 17% para US$ 25,9 bilhões em 2017.
  • No total, 209 respondentes atualmente gerenciam US$ 114 bilhões em ativos de investimento de impacto.
  • Quase universalmente, os entrevistados medem seu desempenho social e/ou ambiental usando uma mistura de métricas proprietárias, informações qualitativas e métricas alinhadas pelo IRIS.
  • A maioria dos entrevistados informou que seus investimentos já atingiram ou excederam suas expectativas quanto ao impacto (98%) e ao desempenho financeiro (91%).
  • Embora dois em cada três respondentes visem principalmente as taxas de retorno ajustadas ao risco do mercado, há um reconhecimento generalizado do importante papel desempenhado pelo capital que busca taxas abaixo do mercado.
  • A maioria dos entrevistados acredita que a entrada de empresas financeiras em grande escala em investimentos de impacto profissionalizará o mercado e levará ao capital tão necessário, mas muitos temem que existe um risco de colocar essa missão à deriva ou de diluição de impacto associada a essa tendência.

“Dez anos após a criação de uma indústria de investimentos de impacto formal, continuamos a explorar ainda mais fundo os dados sobre o desenvolvimento do mercado. O relatório apresenta oportunidades de colaboração e de ação coletiva para o GIIN e a comunidade de investimento de impacto. Na fase atual do desenvolvimento do mercado, devemos refletir sobre o progresso do mercado e reorientar nossa atenção para o alvo. Temos a enorme oportunidade de não apenas acompanhar os tradicionais mercados de capitais, mas também reinventá-los. As decisões que tomamos hoje têm o potencial de mudar as atitudes, transformar os sistemas e construir a economia sustentável do futuro”, afirma Amit Bouri, cofundador e CEO da GIIN, na mensagem que apresenta a pesquisa 2017.



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial