Notícias

Notícias

Delegação brasileira durante Missão Técnica Anprotec 2017

Missão Técnica 2017 da Anprotec visita ambientes de inovação na Espanha e Turquia

Espanha e Turquia foram os destinos da Missão Técnica 2017, entre 18 e 29 de setembro, que a Anprotec e seus parceiros realizam desde 2004. A delegação do Brasil, formada com 25 integrantes de 17 instituições brasileiras, visitou ecossistemas de inovação na Espanha e participou, em Istambul, na Turquia, da 34ª Conferência Mundial da Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP), que teve como tema central “Parques Científicos e ecossistemas de inovação naturais: articulando tendências e estratégias futuras”. Fernanda Bombardi, gerente executiva do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE), participou da Missão.

As missões internacionais promovidas pela Anprotec e seus parceiros propiciam o contato direto e qualificado entre dirigentes das entidades de apoio e fomento, formuladores de políticas públicas e gestores de ambientes de inovação do Brasil – parques tecnológicos, aceleradoras, incubadoras de empresas, coworkings, empresários e centros de negócios de alto impacto social – para estabelecerem relacionamentos de valor e prospectarem oportunidades de parceria.

“A Missão Técnica é uma oportunidade ímpar para se fazer networking e conhecer experiências inovadoras que estão acontecendo fora do país, particularmente na Espanha, que tem se destacado muito nessa área de empreendedorismo e inovação e tem diversos ambientes de referência mundial”, destaca Sheila Oliveira Pires, superintendente executiva da Anprotec.

Segundo a superintendente, as missões permitem não só conhecer os aspectos positivos do que está sendo feito, como compreender o que pode ser aperfeiçoado quando adaptado à realidade brasileira. “Os brasileiros tiveram a oportunidade de conhecer o ecossistema de inovação da Espanha, um dos principais agentes europeus no que se refere às políticas de apoio ao empreendedorismo e à inovação. Destaca-se o incentivo à inovação empresarial e o estímulo ao empreendedorismo inovador. Os parques tecnológicos constituem agentes fundamentais nesse contexto”, explica Sheila.

Para Fernanda Bombardi, gerente executiva do ICE, o roteiro foi muito rico e alguns aspectos se destacam como tendências. “Os ambientes que visitamos têm uma visão de apoio ao empreendedor que considera o ciclo inteiro de desenvolvimento –  da ideação, passando pela prototipagem até a escalada do negócio. São instituições cada vez mais preparadas para apoiar o empreendedor nas diferentes etapas do negócio e nas suas diferentes necessidades, seja no desenho de um modelo de gestão ou na busca de um parceiro financiador. Outra tendência é a realização de ações em parceria com outras instituições. Na região do País Basco, três parques tecnológicos se uniram para desenvolver uma proposta de desenvolvimento comum para aquela área, para potencializar a atuação das organizações. São pistas que mostram o que poderíamos fazer aqui no Brasil. A missão proporcionou reflexões importantes. Como enxergar as organizações intermediárias, sejam parques, incubadoras, aceleradoras ou universidades. Como potencializar nossas ações com elas, porque elas são, no fundo, grandes disseminadoras de tendências globais”, explica Fernanda.

Roteiro espanhol

Nos dois primeiros dias, a programação foi em Málaga. A delegação visitou o Parque Tecnológico de Andaluzia (PTA), um dos maiores da Europa com aproximadamente 600 empresas inovadoras de diversos setores e 16 mil empregados. O parque foi inaugurado há 25 anos, quando a economia da região de Andaluzia ainda era baseada na agricultura. Os sócios-fundadores são o Governo de Andaluzia (50%), a Prefeitura de Málaga (34%), o Banco Nacional (15%) e a Universidade de Málaga (1%). Como não havia experiência similar na Europa, foi contratada uma consultoria do Japão para elaborar o projeto. O parque sozinho é responsável por aproximadamente 10% dos empregos e 8% do PIB da cidade.

É a sede de importantes organizações como Associação de Parques Tecnológicos da Espanha (APTE), Associação Internacional de Parques Científicos e Tecnológicos (IASP) e Rede de Tecnologia de Andaluzia (RTA). A APTE reúne 48 parques associados em operação e outros tantos em implantação. São 7.800 empresas, que empregam 161 mil pessoas e faturam € 26 bilhões por ano.

A delegação também foi à Universidade de Málaga, onde esteve com representantes da reitoria e vice-reitores na área de inovação e empreendedorismo, e visitou a área tecnológica da instituição, o projeto Andaluzia Tech, fruto de parceria entre a Universidade de Málaga e a Universidade de Sevilha.

Outro destaque desses dois primeiros dias de missão foi a visita ao Green Ray Building, um microambiente que inclui desde incubação e pré-incubação até ambientes de coworking, reunindo empresas e ações focadas no empreendedorismo no âmbito acadêmico.

A segunda etapa da Missão Técnica aconteceu na cidade de Bilbao, onde a comitiva visitou o Parque Científico e Tecnológico de Bizkaia, situado na cidade de Zamudio. Criado em 1985 com o objetivo de promover a diversificação da indústria e a transferência e difusão de tecnologia e inovação, conta com 65 edifícios que abrigam 8 mil pessoas em 226 empresas que faturam € 2,8 bilhões. As principais áreas são TIC, bio e saúde e eletrônica. Dentro da área do Parque, a delegação visitou também o centro avançado de incubação Bic Bizkaia, especializado em setores e tecnologias com alto valor agregado, com destaque para tecnologias bio-microanotécnicas, tecnologias limpas e fabricação avançada. Inaugurado em 2014, é gerido pela prefeitura de Bilbao. Oferece serviços de inteligência competitiva, fundo de pesquisa e desenvolvimento, transferência tecnológica, mentoria, network e treinamento, além da infraestrutura de labs (manufatura avançada e biotech).

O Tecnalia, primeiro centro de pesquisa aplicada e desenvolvimento tecnológico do Estado e um dos mais importantes da Europa, também foi visitado pela missão. O centro emprega cerca de 1.400 pessoas, de 30 nacionalidades diferentes, gera aproximadamente €102 milhões e possui 4.050 empresas em sua lista de clientes. A instituição se destaca em áreas como desenvolvimento sustentável, indústria e transportes, saúde, e inovação e sociedade.

A Anprotec e o Tecnalia participam do programa ELAN (European and Latin American Business Services and Innovation Network), um espaço de colaboração, cogeração e desenvolvimento de oportunidades de negócios baseados em tecnologia, entre a Europa e a América Latina. Financiado pela União Europeia, o ELAN Network é gerenciado pelo Tecnalia e conduzido por membros de consórcios. A Anprotec coordena o ELAN no Brasil.

Barcelona foi a última etapa e a programação incluiu visitas a importantes instituições como a La Salle Technova Barcelona, o Parque Científico de Barcelona, o Distrito 22@Barcelona, entre outras. O Parque Científico de Barcelona foi criado em 1997, o primeiro da Espanha. Possui 105 empresas instaladas, diversas plataformas tecnológicas, unidades tecnológicas e quatro institutos de pesquisa, com atuação destacada nas áreas de biomedicina, ambiental, TIC e setores agroalimentares. Funciona em uma área que antes era destinada ao atendimento de pobres ou pessoas com doenças contagiosas. A iniciativa é uma ação conjunta do governo, prefeitura e universidade. Com 1.500 pessoas de 150 países, o parque é um dos cinco mais relevantes produtores de conhecimento na área de Biotech no mundo. São 1.200 publicações por ano, das quais 15, em média, nas revistas Nature e Science. Toda a pesquisa produzida é pública. O orçamento anual é de € 90 milhões, dos quais €15 milhões são só para gestão do parque.

Durante a visita, a delegação conheceu iniciativas da Fundação Bosch i Gimpera (FBG), que atua na promoção e gerenciamento da transferência de conhecimento e tecnologia gerados na Universidade de Barcelona ao setor privado. A delegação também esteve no Barcelona Biomedical Research Park, um dos maiores hubs de pesquisa na área biomédica do sul da Europa, e o Barcelona Ativa, organização responsável pela promoção de políticas e práticas que fomentem o desenvolvimento socioeconômico, o emprego e o empreendedorismo, e forneçam apoio a empresas na perspectiva da economia plural.

Outro destino da Missão foi o Distrito 22@Barcelona, polo econômico que concentra negócios ligados a novas tecnologias, informação e conhecimento. Situada na antiga região industrial no bairro de Poblenou, o projeto transformou uma região praticamente abandonada da cidade em um moderno reduto de startups, entidades de pesquisa e iniciativas ligadas a universidades.

No último dia em Barcelona, a delegação visitou uma das principais incubadoras de tecnologia da Europa, a La Salle Technova, apontada por um estudo da Fundación de las Cajas de Ahorros (Funcas) como a terceira melhor incubadora de empresas da Espanha em 2016. O levantamento, realizado em parceria com a Universidade Rey Juan Carlos de Madrid, analisou, ao todo, 227 iniciativas.

A Missão foi recebida pelo presidente executivo da La Salle Technova, Josep Piqué, e teve a oportunidade de conhecer detalhes do modelo de incubação desenvolvido pela instituição. Piqué, que também é presidente da Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP), conversou com os integrantes da delegação sobre as características do ecossistema de inovação da Catalunha e suas ligações com outros ecossistemas espanhóis e globais.

Finalizada a etapa espanhola da Missão, a delegação viajou para Istambul, Turquia, onde participou da 34ª Conferência da Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP).

A iniciativa tem o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti), Ministério das Relações Exteriores (MRE), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP), Associação de Parques Tecnológicos da Espanha (APTE), Rede de Parques Científicos e Tecnológicos da Catalunha (XPCAT) e La Salle Technova Barcelona.

 



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial