Notícias

Notícias

Prêmio ICE 2016: trabalhos vencedores e sua contribuição para o campo

Redes sociais e projetos de Crowdfunding, base da pirâmide e sustentabilidade, competitividade dos negócios sociais / estudo de casos do Brasil e de Bangladesh, abordagens teóricas e mapeamento de negócios de impacto social estão entre os temas abordados nos trabalhos vencedores da terceira edição do Prêmio ICE 2016, realizado pelo Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) por meio do Programa Academia.

Rovian Dill Zuquetto, da Universidade Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo (RS), foi o primeiro colocado na categoria Mestrado Stricto Sensu. Seu trabalho – “Redes Sociais e o Sucesso dos Projetos de Crowdfunding: um estudo quantitativo de redes egocentradas no Brasil” – analisou o financiamento coletivo, ou crowdfunding, fenômeno crescente que tem auxiliado diversos empreendedores a trazerem suas ideias para a realidade. Com orientação do professor Jorge Renato de S. Verschoore, o autor lança um olhar sobre este fenômeno com uma perspectiva de redes sociais e explora como as características estruturais da rede social dos empreendedores podem afetar o sucesso dos projetos. Este estudo é único no que tange o contexto brasileiro e tem como base a Catarse, a maior plataforma de financiamento coletivo brasileiro.
Clique aqui para conferir o seu trabalho na íntegra.

O segundo lugar nessa mesma categoria ficou com Rodrigo Luiz Morais da Silva, da Universidade Federal do Paraná – UFPR (PR), com o trabalho “Empresas Atuantes na base da pirâmide e as suas contribuições para a sustentabilidade: quadro de análise e evidências empíricas”. Orientado pelo professor Farley Simon Mendes Nobre, seu trabalho aborda a atuação das empresas da Base da Pirâmide (BoP) e sua contribuição para as dimensões econômica, social e ambiental da sustentabilidade. O autor desenvolveu uma análise integrativa de 100 publicações sobre BoP listadas na base Web of Science para a proposição de um quadro de análise e classificação de empresas atuantes nas populações pobres do mundo e suas contribuições para a sustentabilidade. Para conhecer esse trabalho, acesse: https://goo.gl/JTBd7X.

Na categoria Graduação TCC, o trabalho vencedor foi “A competitividade dos negócios sociais: um estudo de casos do Brasil e de Bangladesh”, de Laís Naoko Higashi, FEA-USP (SP). O trabalho, que teve a orientação da professora Graziella Maria Comini, concentra-se em negócios de destaque no Brasil e em Bangladesh, dada a relevância e pioneirismo desse país asiático dentro do ecossistema de negócios sociais. O objetivo, além da identificação das características competitivas desses negócios, foi comparar as relações competitivas dos negócios sociais dos dois países, além de identificar as oportunidades e desafios presentes na área. Conheça mais sobre o trabalho dela clicando aqui.

Ana Luiza Terra Costa Mathias foi a segunda colocada na categoria Graduação TCC, com o trabalho “Negócios Sociais: Uma comparação entre as diferentes abordagens teóricas”. Aluna da Universidade Estadual Paulista (UNESP- SP), Ana Luiza foi orientada pelo professor José Geraldo Alberto Bertoncini Poker. Seu trabalho analisa as diferentes abordagens de negócios sociais pelo mundo, suas origens e características comuns e as principais diferenças. Foram pesquisadas três abordagens que variam de acordo com a região do mundo e, consequentemente, sua tradição econômica e social. Leia aqui o projeto em detalhes.

Caio Sousa da Silva, aluno do Centro Universitário FEI (SP), recebeu menção honrosa pelo trabalho “Mapeamento de Negócios de Impacto Social e Organizações Congêneres no Brasil”. Trata-se de uma pesquisa exploratória, que identifica os atores do campo que contribuem para a melhoria social e, em alguns casos, ambiental, especificamente os seguintes tipos organizacionais: Negócios de Impacto Social, Negócios Inclusivos, Negócios com foco na Base da Pirâmide, B-Corp, Cooperativas, Incubadoras, Aceleradores e fundos de investimento (dedicados aos negócios de impacto social). Foi orientado pelo professor Edson Sadao Iizuka.
Mais informações sobre este trabalho você pode encontrar neste link.

Essa edição do Prêmio ICE teve abrangência nacional, com trabalhos inscritos de 11 estados e do Distrito Federal, abrangendo quatro regiões do Brasil (50% Sudeste, 26% Sul, 16% Nordeste e 8% Centro-Oeste). O número de trabalhos válidos triplicou em relação à edição anterior: foram 50 inscrições, de 26 instituições de ensino superior. Veja aqui a relação dos vencedores desta edição e das passadas.

 



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial