Notícias

Notícias

Desafio incentiva incubadoras e aceleradoras a ampliar a inclusão de negócios de impacto em seus portfólios

Quanto maior o fortalecimento das organizações intermediárias que atuam na área de finanças sociais e negócios de impacto, maior será o número de negócios qualificados e escaláveis disponíveis no país. Nesse grupo, entre outras organizações, estão as aceleradoras e incubadoras, que garantem suporte em infraestrutura, apoio técnico para a construção de modelos econômicos e de gestão, e mentoria para que os negócios de impacto social possam crescer e alavancar financiamentos. Para fomentar o enorme potencial dessas organizações de disseminar o conceito de negócios de impacto que contribuem para a solução de problemas sociais, o ICE lança, em parceria com a Anprotec (Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e com o Sebrae, o Desafio de Incubação e Aceleração de Impacto, que irá reconhecer os melhores planos de ação de incubadoras e aceleradoras sobre como atrair e atender mais negócios de impacto em seus portfólios.

A premiação corresponde à fase final do Programa Incubação e Aceleração de Impacto, desenvolvido pelo ICE (Instituto de Cidadania Empresarial). Tem como objetivo mobilizar incubadoras e aceleradoras de todo o Brasil na atração, seleção e acompanhamento de negócios de impacto. O prêmio reforça o olhar das aceleradoras e incubadoras para que incluam negócios de impacto no seu processo de seleção. Dez incubadoras e aceleradoras serão selecionadas como finalistas e participarão do  Fórum de Finanças Sociais e Negócios de Impacto a ser realizado nos dias 3 e 4 de agosto (leia nota nesta edição sobre o evento). Durante o evento, serão conhecidos os cinco melhores planos de ação que serão avaliados por uma banca de especialistas.

Cada uma das cinco organizações vencedoras receberá um prêmio de R$ 25 mil para implementar o seu plano de ação destinado a atrair e aapoiar negócios de impacto. Terá também a mentoria de empresários e investidores experientes para os negócios de impacto de seu portfólio e um voucher do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) para o acesso a serviços da instituição, a fim de melhorar a sua capacitação.

“Acreditamos que as incubadoras e aceleradoras têm enorme potencial para influenciar a agenda empreendedora no país. Quanto mais comprometidas e envolvidas na resolução das questões sociais ou ambientais essas organizações estiverem, mais negócios de impacto social em operação teremos e, consequentemente, atrairemos maior volume de recursos. Criamos assim, um círculo virtuoso e inspirador para novos empreendedores e investidores”, diz Fernanda Bombardi, gerente-executiva do ICE e responsável pelo Programa Aceleração e Incubação de Impacto, criado em 2015.

Segundo a superintendente executiva da Anprotec, Sheila Oliveira, o propósito de gerar impacto tem marcado a trajetória de diversas aceleradoras e incubadoras desde sua fundação. “Essa é mais uma oportunidade para ampliar e fortalecer a nossa contribuição para a solução de problemas sociais ou ambientais, bem como aproximar essas organizações do ecossistema de negócios de impacto que está em crescimento no país”, afirma.

O Programa recebeu 35 inscrições de quinze estados, a maioria das regiões Sudeste, Sul e Nordeste, das quais foram selecionadas inicialmente 30 organizações. O Programa é dividido em 3 fases:

  • Fase 1: Capacitação Presencial e Virtual – envolve workshop presencial, curso online sobre negócios de impacto social, webinars com especialistas e mentoria para a criação de um plano de ação.
  • Fase 2: Seleção – inclui a avaliação dos planos de ação e seleção dos finalistas.
  • Fase 3: Desafio – escolha dos vencedores, aqueles que apresentam os cinco melhores planos de ação.

 

No momento, o programa encontra-se na fase de avaliação dos planos de ação e seleção dos 10 finalistas que serão anunciados nos próximos dias.

Para mais informações acesse http://ice.org.br/aceleracao-incubacao-impacto



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial