Notícias

Notícias

Lab de Inovação em Finanças Sociais construírá protótipos para avançar na implementação das Recomendações

Representantes de mais 40 quarenta organizações locais e internacionais, entre as quais bancos privados e  de desenvolvimento, family offices, fundações, institutos, empresas e órgãos públicos, participaram no final de abril da reunião inicial do Lab de Inovação em Finanças Sociais (Lab), iniciativa da Força Tarefa de Finanças Sociais (FTFS) e da Aoka Labs. Eles são os embaixadores do novo Lab, criado com a missão de ser um espaço de diálogo, conhecimento e cocriação com um grupo de trabalho multi stakeholder, que permite um olhar sistêmico sobre as Recomendações da Força Tarefa de Finanças Sociais e a busca coletiva de caminhos inovadores e concretos para a construção de protótipos de planos de ação com o objetivo de avançar na implementação das Recomendações.

Em outubro de 2015, a FTFS lançou uma série de Recomendações com o objetivo de promover o avanço do campo das finanças sociais e negócios de impacto no Brasil. A FTFS espera movimentar nos próximos anos R$ 50 bilhões no Brasil em investimentos em ações e negócios que associam impacto social e sustentabilidade financeira – ou seja, são direcionados a produtos e serviços que melhoram indicadores sociais e têm desempenho positivo. No mundo, segundo o Global Steering Group on Impact Investing, há a possibilidade de destravar US$ 1 trilhão para este campo.

Os participantes do Lab, que se conectam de alguma forma com os desafios apresentados, irão participar de dinâmicas e rodadas de diálogo para criar protótipos de planos de ação para atingir os resultados propostos pelas Recomendações, engajar atores estratégicos na agenda das finanças sociais, fortalecer conexões existentes, estabelecer novas conexões e incluir mais parceiros na implementação de projetos concretos, além de estimular que cada instituição ou pessoa envolvida se reconheça como parte fundamental deste campo e compreenda seu papel e contribuição específica. Na base de todas as ações, a crença de que novos modelos de negócio baseados em finanças sociais e negócios de impacto podem ajudar a resolver problemas sociais.

Todo o processo do Lab receberá o apoio do professor Otto Sharmer, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), criador da tecnologia social conhecida como Teoria U, voltada à resolução de desafios complexos e geração de impacto coletivo, uma referência internacional nessa área.

O principal objetivo do Lab será a elaboração de protótipos e planos colaborativos para garantir a implementação e a efetivação das metas propostas para quatro recomendações priorizadas pela FTFS (entre as 15 no total):

  • # Recomendação no 1 – Investimento de indivíduos de alta renda em produtos de impacto;
  • # Recomendação no 2 – Protagonismo de fundações e institutos na construção do ecossistema de finanças sociais e negócios de impacto;
  • # Recomendação no 8 – Fortalecimento de incubadoras e aceleradoras para qualificar mais negócios de impacto;
  • # Recomendação no 12 – Promoção da cultura de avaliação.

Veja a íntegra das Recomendações em http://forcatarefafinancassociais.org.br/recomendacoes/.

Entre os participantes do Lab estão:

  1. Embaixadores: grupo que participou da reunião de kick-off, que terá o papel de apoiar institucionalmente e orientar os implementadores do Lab na realização do plano de ação e de protótipos por meio de suas instituições;
  2. Implementadores: grupo de 30 a 35 pessoas ligadas ou não aos embaixadores, que participará das atividades de discussão do Lab, de cocriação de protótipos e implementação dos projetos;
  3. Conselho Deliberativo da Força Tarefa de Finanças Sociais: constituído por nove membros da FTFS, responsável por mobilizar atores estratégicos para o Lab, garantindo que os resultados sejam alinhados com as crenças, visão de futuro e metas ligadas às Recomendações;
  4. Diretoria executiva da Força Tarefa e Aoka: grupo responsável pela realização do Lab, articulação e acompanhamento das instituições envolvidas, e monitoramento dos protótipos desenvolvidos.

Os embaixadoresapoiaram diretamente a escolha dos implementadores por meio de indicação. Entre os embaixadores estão, por exemplo, José Berenguer, do JP Morgan, Silvia Morais, do UBS, Denise Hills, do Itaú, Américo Teixeira Mattar, da Fundação Telefonica, Ana Lúcia Villela, do Instituto Alana, Heloísa Montes, da Deloitte, Carla Duprat, do Instituto InterCement, Sérgio Suchodolski, do BNDES, Sandra Diaz, da BMW Foundation, Graziela Comini, da USP, Renata Nascimento, do ICE, Henrique Martins, do BID, Marcos Vinicius de Souza, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Fernanda Camargo, da Wright Capital, e vários outros atores estratégicos.

A agenda do Lab segue movimentada. Nas próximas edições  mais informações sobre o Encontro de Cocriação, com a participação dos implementadores, realizado em 07 e 08 de junho. Depois haverá o Encontro Checkpoint; a apresentação/participação no Fórum de Finanças Sociais e Negócios de Impacto, em 3 e 4 de agosto; outro Encontro Checkpoint em 13 de setembro; e a apresentação de resultados, em 9 de novembro.



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial