incubacao-e-aceleracao-de-impacto

Incubação e Aceleração de Impacto

O PROGRAMA

O Programa de Incubação e Aceleração de Impacto é uma parceira entre ICE, Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas) com o objetivo de mobilizar aceleradoras e incubadoras a desenharem estratégias para atrair, selecionar e acompanhar a estruturação de Negócios de Impacto Social no seu portfólio.

O programa parte da premissa de que incubadoras e aceleradoras têm um enorme potencial de influenciar a agenda empreendedora do Brasil, disseminando o conceito de negócios de impacto em escala nacional, e contribuindo para que mais soluções para a resolução de problemas sociais surjam e se fortaleçam.

ETAPAS DO PROGRAMA

CAPACITAÇÃO

Capacitação presencial e online para criação de um plano de ação sobre como atrair, selecionar e apoiar Negócios de Impacto.

Workshop presencial (dez 2016) e online (de janeiro a maio)

DESAFIO

Oportunidade de participação em um desafio que premiará o melhor plano de ação de cada região do país. Buscaremos um vencedor por região do Brasil que receberá:

R$ 25.000
Voucher de serviços Sebrae
Mentoria

ACOMPANHAMENTO

  • Apoio para implementação dos Planos de Ação
  • Participação no Grupo de Aceleradoras e Incubadoras do Programa
  • Conexões com outras organizações que atuam com Negócios de Impacto

QUEM FAZ PARTE?

Aceleradores e Incubadoras que já concluíram o Programa
Incubadora ativa mais antiga foi fundada em 1986

VENCEDORES DO DESAFIO DE INCUBAÇÃO
E ACELERAÇÃO DE IMPACTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica Centev/UFV (MG)

A Centev atua em Viçosa (MG) e região, oferecendo assessorias gerenciais e técnicas, mecanismos de apoio à inovação e cooperação tecnológica, orientação para a captação de recursos e tecnologias de gestão, bem como coloca à disposição dos empreendedores, de forma compartilhada, uma infraestrutura para desenvolvimento de suas atividades. Resultados: 90 empresas incubadas, 450 empregos gerados pelas empresas em uma cidade de 72.000 habitantes. Faturamento de R$ 13,4 milhões de reais gerados pelas empresas no ano de 2014.

Acesse o site: www.centev.ufv.br

Centro de Empreendimentos em Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (CEI – UFRGS, RS)

Desde 1996, incentiva a criação e o desenvolvimento de empresas nas áreas de tecnologia da informação e comunicação. O CEI é considerado modelo de referência pelas agências brasileiras de avaliação. Já incubou/acelerou mais de 56 novas empresas de TI. As empresas que estão atualmente no processo de incubação do CEI geram 33 postos de trabalho e faturaram R$ 360 milhões em 2015.

Acesse o site: www.inf.ufrgs.br/cei/

Incubadora Santos Dumont/Parque Tecnológico Itaipu (PR)

A Incubadora Santos Dumont oferece suporte gerencial a novas empresas nos setores de água, energia, turismo, tecnologia da informação e comunicação, gestão e mobilidade. Facilita a interação com o meio empresarial, científico, tecnológico e financeiro, para ajudar a sua inserção, crescimento e consolidação no mercado. Desde 2006, registra os seguintes resultados: projetos atendidos, 211; empresas geradas, 68; empresas graduadas, 8; produtos e serviços, 384; faturamento, R$ 31 milhões; postos de trabalho, 966;

Acesse o site: www.pti.org.br/incubadorasantosdumont

Inova Sorocaba / Hubiz Inovação e Negócios (SP)

A Agência de Desenvolvimento e Inovação de Sorocaba – Inova Sorocaba foi criada em 2007, com o objetivo de articular parcerias e projetos inovadores para o Parque Tecnológico de Sorocaba. A incubadora Hubiz Inovação e Negócios é uma entidade de apoio à criação de negócios de alto impacto e inovação tecnológica de classe global, focada em preparar as empresas iniciantes a ingressar competitivamente no mercado, potencializando assim suas oportunidades de sucesso. A incubadora já recebeu cerca de 70 projetos de incubação, dos quais 27 se graduaram e 18 continuam incubados.  As empresas incubadas faturaram R$ 1,5 milhão em 2015.

Acesse o site: www.inovasorocaba.org.br/incubadora

UNITEC - Unidade de Inovação e Tecnologia da Unisinos (RS)

Criada em 1998, a Unidade de Inovação e Tecnologia da Unisinos estimula, planeja e realiza inovações tecnológicas, fomentando o conhecimento gerado na Universidade e integrando-o às empresas, por meio de pesquisa aplicada. Também potencializa o estabelecimento de parcerias estratégicas (internas e externas) para a instalação e o fortalecimento do empreendedorismo inovador, com base no desenvolvimento sustentável. Recebe empresas interessadas em cinco áreas: tecnologia da informação; automação e engenharias; comunicação e convergência digital; tecnologias para a saúde; energias renováveis e tecnologias socioambientais. Possui atualmente 25 empresas incubadas.

Acesse o site: www.tecnosinos.com.br

O QUE É UMA INCUBADORA?

Conforme define a Anprotec, uma incubadora é uma entidade promotora de empreendimentos inovadores que tem por objetivo oferecer suporte para que eles possam desenvolver ideias e transformá-las em empreendimentos de sucesso. Para isso, oferece infraestrutura, capacitação e suporte gerencial, orientando os empreendedores sobre aspectos administrativos, comerciais, financeiros e jurídicos, entre outras questões essenciais ao desenvolvimento de uma empresa. Segundo estudo realizado pela Associação em 2012, as incubadoras têm como maior propósito a criação de empresas com potencial para levar ao mercado novas ideias e inovações tecnológicas. Contribuir para o crescimento local, por meio do desenvolvimento de novos produtos e serviços, geração de emprego e renda e criação de negócios de alta qualidade, são apontados, conforme esse estudo, como objetivos adicionais dessas entidades. O Brasil contabiliza hoje cerca de 370 incubadoras de empresas, localizadas em diferentes regiões do país.

O QUE É UMA ACELERADORA?

São mecanismos, geralmente privados, de apoio a startups. Normalmente não estão ligadas a centros acadêmicos e são mais focadas em negócios altamente escaláveis – que podem crescer rapidamente e obter investimento. São lideradas por empreendedores e empresários com sucesso prévio, capacidade de investimento próprio ou financiadas por capital de risco. Agregam, em seu entorno, empreendedores, investidores, pesquisadores, empresários, mentores de negócios e fundos de investimento. As aceleradoras normalmente têm um programa intenso de aceleração, com um ou dois meses de durabilidade, e um programa de mentoring, que dura de seis a 12 meses. Algumas aceleradoras fazem um programa de pós aceleração que pode se estender por até dois anos. Assim, as aceleradoras ficam com a missão de levar os empreendimentos mais bem preparados – originados em incubadoras ou em laboratórios de desenvolvimento mais próximos do mercado – para um patamar que permita a atração de investimentos, por meio do capital de risco. Nessa etapa do processo, os empreendedores já devem estar preparados para o ingresso no mercado, com foco que vai além das questões técnicas relativas ao produto. Existem também aceleradoras sem fins lucrativos, que focam em negócios de alto impacto social como educação, saúde, habitação, serviços financeiros. A Artemisia, por exemplo, apoia negócios escaláveis no Brasil, que apresentam soluções para problemas sociais da população de baixa renda. Fundada em 2004 e parceira da Anprotec, a Artemisia já apoiou 107 negócios de impacto social.

Trechos extraídos da publicação Mecenismos de Geração de Empreendimentos Inovadores produzida pela Anprotec. Leia mais em: http://www.anprotec.org.br/Relata/Anprotec_MecanismosdeGeracaodeEmpreedimentosInovadores.pdf

O QUE É UM NEGÓCIOS DE IMPACTO SOCIAL?

Os negócios de impacto são empreendimentos que tem a missão explicita de gerar impacto social e/ou ambiental ao mesmo tempo em que geram resultado financeiro positivo de forma sustentável.
Negócios de Impacto Finanças Sociais Carta de Princípios para Negócios de Impacto

ICE – Instituto de Cidadania Empresarial