Notícias

Notícias

Gestão de Impacto – investidores compartilham suas práticas de monitoramento dos negócios investidos

ICE ouviu nove atores do ecossistema sobre mensuração e avaliação de impacto de empresas investidas. O monitoramento do Portfólio ICE-BID também foi descrito com os mesmos parâmetros utilizados na consulta.

A mensuração de impacto é um passo importante para avaliação dos resultados práticos dos investimentos em negócios de impacto, bem como para avanços na busca de novos investimentos. Ao longo dos últimos 3 anos o ICE tem acompanhando os negócios de impacto apoiados em sua parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID,  por meio do BID Lab. Para aprimorar esse monitoramento e a comunicação do impacto positivo entregue pelo Portfólio ICE-BID, o instituto propôs a outros investidores compartilharem suas práticas de gestão de impacto.

Bemtevi, Positive Ventures, Potencia Ventures, Rise Ventures, Sitawi, Synthase Ventures, Trê, Vox Capital e Yunus Negócios Sociais participaram da consulta, que avaliou oito parâmetros. Entre eles, o uso de ferramentas próprias ou de mercado para gestão de impacto, frequência de monitoramento e divulgação de relatório de impacto.

Confira a seguir os principais resultados.

Ferramentas de gestão

Dos dez atores avaliados (contando com o ICE), predomina a Teoria da Mudança como ferramenta de gestão de impacto, utilizada por seis deles. As métricas do IMP (Impact Management Project) e IRIS+ são usadas por quatro e três atores, respectivamente, e o B Impact Assesment por dois. Dois atores não utilizam ferramentas de mercado para gestão de impacto. Há ainda menções ao Modelo C e ao SDG Action Manager.

Frequência do monitoramento

Predomina o monitoramento mensal (seis organizações) sobre o trimestral (quatro). Já no quesito reporte dos achados, os pesquisados preferem o modelo trimestral (cinco), seguido por semestral (três), mensal (um) e semanal (um).

Ferramentas para comparabilidade

Quatro organizações não utilizam, duas têm intenção de desenvolver, três usam ferramenta autoral, duas usam B Impact Assessment e uma SDG Action Manager.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A importância da agenda da Organização das Nações Unidas (ONU) é notada por todos: o alinhamento aos ODS é regra para os dez atores do ecossistema.

 Relatório público

Cinco entre os dez atores torna público seu relatório de impacto.

 Avaliação de impacto de resultados médio-longo prazo

Sete não realizam e três realizam.

 Número de negócios investidos e  monitorados

Entre os atores pesquisados, predominam aqueles que apoiam até 15 negócios, com apenas dois apoiando mais (negócios apoiados variam entre 2 e 47).

Instrumento financeiro

Considerando as modalidades de instrumento financeiro, os dez atores se distribuem da seguinte forma:

  • apenas empréstimo direto: 2;
  • apenas empréstimo coletivo: 1;
  • empréstimo direto e coletivo: 2;
  • participação acionária: 4;
  • participação acionária e crédito: 1.

Documento com detalhes por investidor 

Com a anuência das organizações entrevistadas, o ICE consolidou em um único documento as informações levantadas: Gestão de Impacto – Práticas e ferramentas para investidores de negócios de impacto.

De modo geral, o levantamento pode concluir que todos consideram que a prática de monitorar impacto deve ser relevante para o empreendedor e o negócio; tornar a gestão de impacto uma ferramenta poderosa e eficiente para o negócio depende do estágio de desenvolvimento do negócio e da intencionalidade; e as ferramentas e metodologias para gerir impacto, autorais ou de mercado, apoiam as organizações em seu trabalho.



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial