Notícias

Notícias

Série Portfólio ICE-BID: soluções em educação

Confira os negócios apoiados pela parceria ICE-BID que estão impactando o setor de educação.

A parceria entre o Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do BID Lab, investiu entre 2017 e 2018 cerca de R$ 3 milhões para apoiar o desenvolvimento e a estruturação de negócios de impacto no Brasil e fortalecer incubadoras e aceleradoras.

Oitenta e cinco por cento desse montante foi investido em 16 negócios de impacto, enquanto o restante foi aportado nas cinco aceleradoras e incubadoras que apoiam esses negócios.

Os empreendimentos apoiados atuam nos setores de saúde, educação, cidades, cidadania, tecnologias verdes, serviços financeiros e desenvolvimento rural.

O ICE acompanha o desempenho econômico-financeiro e os indicadores de impacto dos negócios durante os cinco anos de vigência do contrato de empréstimo. Por estarem em estágio inicial, o Instituto também apoia os empreendedores criando conexões com potenciais mentores e investidores.

Na primeira matéria da série Portfólio ICE-BID, apresentamos as soluções que estão impactando o setor da educação. Confira a seguir.

 

Árvore Educação

Apoiada pela Artemisia, a Árvore Educação (antiga Guten) participou da primeira edição da Chamada ICE-BID, em 2017, e recebeu como aporte R$ 200 mil. O negócio consiste em uma plataforma digital que desenvolve e avalia as habilidades leitoras dos estudantes no Ensino Fundamental. Ao fornecer relatórios automáticos de aproveitamento aos educadores, mostrando as lacunas de aprendizagem dos alunos e indicando novos conteúdos apropriados para cada estudante, a ferramenta promove a personalização do aprendizado.

Danielle Brants, fundadora da Guten Educação e co-fundadora da Árvore Educação, explica que a missão da iniciativa é transformar a vida dos estudantes brasileiros por meio da leitura. “Nosso objetivo é oferecer plataformas digitais de leitura que potencializem e democratizem o acesso dos alunos nos mais variados locais do país a um acervo completo e engajador de conteúdos e, ao mesmo tempo, prover ferramentas para que escolas e educadores acompanhem o desempenho desses estudantes e façam intervenções cada vez mais eficazes.”

Com a fusão entre a Guten e a Árvore de Livros, surgiu a Árvore Educação, que hoje é a maior edtech voltada para leitura digital para escolas do Brasil. “Temos cerca de 250 mil alunos pagantes em todo o país, distribuídos em mais de 400 escolas privadas e públicas. Cerca de 60 mil alunos da Secretaria Municipal de Manaus e São José dos Campos lêem livros digitalmente usando as nossas plataformas, por exemplo”, comemora Danielle.

Crescer ainda mais e oferecer novos produtos na área de Linguagens para os estudantes brasileiros de escolas públicas e privadas é a perspectiva para o futuro, segundo a co-fundadora do empreendimento.

 

Movva

Em 2015, a Movva começou a construir a ideia do nudgebot – uma espécie de “cutucão” ou lembrete via SMS projetado para estimular novos hábitos, considerando que a tecnologia poderia ajudar a mudar o comportamento para a formação de hábitos positivos.

A empresa, então, desenvolveu o Eduq+, um nudgebot para engajamento educacional que tem como objetivo prover conteúdos e atividades para mudança de comportamento, incentivando coordenadores, professores e familiaresa se aproximarem ainda mais do aluno e da escola.

Os nudges são enviados semanalmente“Enviamos conteúdo socioemocional para que o pai se aproxime do filho. Ao ver que o pai está interessado, o filho aumenta a autoestima, vai mais para a escola, acaba aprendendo mais e não repete de ano. As mensagens têm cerca de 160 caracteres ou menos, inspiram e propõem mudanças de atitude.” explica Rafael Vivolo, CEO do Movva. Um exemplo de mensagem que convida à reflexão: “A convivência familiar é importante para o desenvolvimento da criança. Como vocês vêm construindo essa relação familiar?”.

Em 2016, os nudgebots Eduq+ chegaram a 20 mil pais de alunos do 9º ano de 286 escolas públicas do estado de São Paulo numa iniciativa financiada pela Universidade Stanford e pelo Itaú BBA. Depois de 23 semanas, o resultado foi um aumento de 15% da frequência em sala de aula, aumento da aprendizagem em Português e Matemática e redução da reprovação em 33%.

Rafael observa que a tecnologia é escalável e tem resultados comprovados em diferentes contextos. “Após um ano letivo na Costa do Marfim, o nudgebot da Movva trouxe resultados promissores, melhorando aprendizagem, como se as crianças estivessem um bimestre à frente em Matemática e leitura e reduzindo repetência em 33% e evasão pela metade”, conta.

Rafael recorda que o apoio da Chamada ICE-BID com o aporte de R$ 200 mil em 2017 foi fundamental para o crescimento da Movva: “O recurso nos deu ‘fôlego’ e segurança no fluxo de caixa e pudemos investir em time e tecnologia. A chancela BID-ICE rendeu ainda a geração de novos negócios e o suporte do time do ICE-BID na parte de acompanhamento de indicadores deu mais visibilidade no cumprimento de metas”.

 

Redação Online

Em 2014, quase 10% dos 6,5 milhões de alunos que prestaram ENEM zeraram na redação. Os alunos apresentavam deficiências de leitura, escrita e interpretação de texto, dificuldades essas ainda mais acentuadas entre alunos de escolas públicas, que têm uma pontuação média de 539 pontos (de 1.000 possíveis), o pior desempenho entre todas as redes de ensino.

O Redação Online foi criado para intervir nessa realidade. Por meio da ferramenta, um corretor apresenta uma devolutiva ao aluno em até 72 horas. O aluno tem ainda acesso a um quadro que apresenta sua evolução, dicas de leituras, links e vídeos para estudar, além de chat com o corretor.

De acordo com a tese de impacto da iniciativa, a correção rápida e individualizada, aliada à metodologia de reescrita, melhoram o desempenho dos alunos na redação. A cada dez alunos do Redação Online, oito aumentam sua nota em 400 pontos de um total de 1.000, em média.

Otavio Pinheiro, CEO e fundador do Redação Online, explica que a plataforma foi desenvolvida conectando uma rede de mais de mil corretores certificados apoiados por recursos de inteligência artificial (AI). “Em seus três anos de existência, a ferramenta corrigiu mais de 500 mil redações, contribuindo com uma melhora substancial nos resultados do ENEM de milhares de jovens de escolas públicas e privadas”, detalha.

Em 2018, durante a segunda edição da Chamada ICE-BID, a plataforma online de correções de redação para ENEM, vestibulares e concursos foi indicada pela Din4mo e recebeu um aporte de R$ 154 mil. “A Chamada ICE-BID foi a primeira oportunidade em termos de confiança e investimento social que a nossa startup conseguiu. Depois da seleção, o Redação Online teve o maior crescimento desde sua fundação.” recorda Otavio. A empresa cresceu 123% entre 2018 e 2019.

“Desde 2017, nos tornamos a única startup de educação do mundo acelerada pelo Facebook, recebemos o prêmio “Talentos da Educação”, da Fundação Lemann, e o InovAtiva Brasil, além de termos sido selecionados para o Accelerate 2030, programa global das Nações Unidas voltado a escalar negócios com impacto social positivo”, conta o CEO. Para o futuro, o Redação Online projeta impactar mais de dez milhões de jovens do Brasil e da América Latina até 2025.

 



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial