Notícias

Notícias

A largada dos planos de ação das aceleradoras e incubadoras premiadas

A mobilização é total e os planos de ação já estão em andamento nas cinco incubadoras que venceram o Desafio de Incubação e Aceleração de Impacto, iniciativa que integra o Programa de Aceleração e Incubação de Impacto.

As vencedoras foram anunciadas durante o Fórum de Finanças Sociais e Negócios de Impacto, realizado em São Paulo (SP) em agosto. O Desafio foi uma realização do ICE em conjunto com a Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e o Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, com apoio da Fundação Telefônica Vivo. Cada uma das incubadoras premiadas recebeu R$ 25 mil, para a execução do plano de ação de inclusão de negócios de impacto em seu portfólio, além de mentoria e vouchers em serviços do Sebrae voltados aos empreendedores incubados. As cinco incubadoras premiadas são:

  • Inova Sorocaba / Hubiz Inovação e Negócios (SP)
  • Incubadora de Empresas de Base Tecnológica Centev/UFV (MG)
  • Unitec – Unidade de Inovação e Tecnologia da Unisinos (RS)
  • Incubadora Santos Dumont/Parque Tecnológico Itaipú Brasil (PR)
  • Centro de Empreendimentos em Informática da UFRGS (RS)

Educação, meio ambiente e saúde são as principais áreas temáticas e setores de negócios que as instituições planejam apoiar. As incubadoras pretendem aplicar sua expertise em incubação e aceleração para gerar empreendimentos de impacto, integrar parceiros estratégicos e contribuir para o desenvolvimento regional.

Os planos de ação incluem capacitação das equipes internas em diferentes temáticas (entre elas mensuração de impacto e o campo dos negócios de impacto); capacitação de empreendedores; disseminação de conteúdo/tema para atores estratégicos; mudança na estratégia de seleção dos projetos e nos produtos/serviços oferecidos ao empreendedor.

Apesar de recente, o tema negócios de impacto é considerado estratégico pelas incubadoras. Foi o que a equipe do ICE constatou na visita à Inova Sorocaba / Hubiz Inovação e Negócios (SP), realizada no dia 8 de setembro. Essa visita foi a primeira da agenda, que tem o objetivo de conhecer de perto as incubadoras e entender como contribuir para a implementação dos planos de ação.

Inova Hubiz no Parque Tecnológico de Sorocaba (SP)

O tema negócios de impacto é novo para a Agência de Desenvolvimento e Inovação de Sorocaba – Inova Sorocaba, mas seus profissionais já vêem potencial para trabalhar no campo, a partir de algumas iniciativas aceleradas, principalmente nas áreas de bioengenharia e energias renováveis. Foi o que a equipe do ICE constatou na visita realizada em 08 de setembro.

Criada para desenvolver e fomentar ações, programas e projetos que incentivem o desenvolvimento tecnológico, a inovação, o empreendedorismo e a pesquisa científica na região, a Agência atua com a meta de tornar Sorocaba um polo de desenvolvimento regional, agregando conhecimento tecnológico e inovação.

A Inova Sorocaba é a gestora da Incubadora Hubiz, entidade de apoio à criação de negócios e inovação tecnológica de classe global, focada em preparar as empresas iniciantes para ingressar competitivamente no mercado, a fim de potencializar suas oportunidades de sucesso. Desde 2003, mais de 65 projetos foram incubados, com uma taxa de sucesso de aproximadamente 50%. Hoje a incubadora apoia 18 projetos, quatro deles com vertente para impacto socioambiental; dois projetos ligados a economia e monitoramento de água; um projeto para promover melhorias na educação e desenvolver material didático para o professor, e outro na área de reabilitação de pessoas, com uso de realidade virtual e prototipagem em 3D, que facilita cirurgias, reduz tempo e custos.

A Hubiz segue a metodologia CERNE, que envolve padronização e registro das atividades de prospecção, sensibilização, seleção, qualificação, planejamento, assessoria e consultoria, monitoramento, orientação, avaliação e graduação de negócios. Os negócios de impacto social serão incluídos nesse processo completo de incubação e apoio a startups.

A Incubadora fará um levantamento junto aos órgãos públicos de Sorocaba (como secretarias da Saúde, Habitação, Desenvolvimento, Planejamento, Cultura e Mobilidade) para detectar os principais problemas que afetam a sociedade. Com base nessas informações, serão feitas chamadas específicas para a busca de soluções aos problemas levantados. Esse levantamento inclui conexões com os principais atores para incentivar o desenvolvimento do ecossistema regional e favorecer o desenvolvimento de negócios nesta área.

O plano de ação prevê a adaptação do processo de seleção de projetos; a inclusão de serviços mais específicos, como, por exemplo, acesso ao poder público, entendimento das compras públicas e apoio aos processos licitatórios. A busca por fundos de investimentos específicos também faz parte dessa reformulação. Na primeira fase, a Hubiz planeja apoiar pelo menos quatro projetos de impacto e capacitar mais cinco pessoas para conduzir o processo. Serão feitas novas parcerias, com impacto direto e indireto sobre mais de 100 profissionais.

“Nosso objetivo é mostrar à população que é possível ter um negócio lucrativo e atuar com clientes da base da pirâmide, contribuindo para o desenvolvimento desse público. Ao longo de um ano, a meta é gerar negócios de impacto que beneficiem cerca de 200 mil pessoas”, afirma Marcelo De Santis Ferreira, coordenador do projeto.

Desenvolvimento da Zona da Mata Mineira

A Incubadora CenTev/UFV é uma das unidades do Centro Tecnológico de Desenvolvimento Regional de Viçosa (CenTev), situada no campus da Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. Há 16 anos oferece apoio e orientação para o desenvolvimento de empresas de base tecnológica nas áreas de alimentos, automação, biotecnologia, design, informática, internet e outras. Nesse período, incubou 90 empresas, com a geração de 450 empregos. A UFV é reconhecida internacionalmente, mas está em uma região, a Zona da Mata Mineira, que enfrenta diversos problemas sociais e dificuldades de desenvolvimento.

O Programa de Incentivo a Negócios de Impacto Social tem o objetivo de estimular o uso de tecnologias, principalmente as desenvolvidas pela UFV, para a solução de problemas sociais. Além de apoiar o desenvolvimento de 10 Negócios de Impacto por ano, a incubadora espera aumentar o número de pessoas sensibilizadas em relação ao tema (500 pessoas no primeiro ano do projeto); ampliar o número de ideias geradas no Laboratório de Ideação voltadas para demandas da sociedade regional, e contribuir para que esses novos empreendimentos ajudem o desenvolvimento da região, por meio da geração de mais empregos.

Ao apoiar empreendimentos de base tecnológica, a Incubadora acumulou conhecimento em processos de sensibilização, seleção e acompanhamento empresarial. O tema empreendedorismo de impacto está incorporado aos eventos e o Laboratório de Ideação, que teve sua primeira edição em abril desse ano, atendeu 28 empreendedores. A Incubadora entende que é necessário, nesse momento, adquirir conhecimento a respeito de metodologias de aceleração para negócios de impacto.

Para começar, em 2016 serão atendidos dois projetos. O plano de ação, já iniciado, centraliza a atuação em novas estratégias desde o processo de sensibilização (palestras e eventos), prospecção (Laboratório de Ideação, Rodada de Negócios Sociais), seleção e acompanhamento de empreendimentos de (mentoria, qualificação).

Vocação na área de tecnologia para a saúde

Um dos objetivos estratégicos do Parque Tecnológico de São Leopoldo, Tecnosinos, é ser a sede do Vale da Saúde no Brasil. A meta está alinhada à vocação de desenvolver tecnologias para a área de saúde, além de energias renováveis e socioambientais. Dessa forma, a UNITEC, incubadora da UNISINOS, pretende prospectar e potencializar negócios de impacto social que desenvolvam tecnologias de ponta nessas áreas. Sua participação no Programa de Incubação e Aceleração de Impacto tinha o objetivo de ampliar o número de negócios de impacto incubados, de quatro para dez, em 2016.

A implantação do plano de ação possibilitará a disseminação do tema negócios de impacto social. Inclui capacitação direta de 16 professores do Eixo de Empreendedorismo e Inovação da Unisinos, capacitação de 100 participantes do Prêmio Roser por ano, capacitação, indireta e por semestre, de 500 alunos do Eixo de Empreendedorismo e Inovação, que são potenciais candidatos ao Prêmio Roser.

O Prêmio Roser é um mecanismo para atração de negócios. Trata-se de competição empreendedora que abrange todo o estado do RS e já conta, no seu histórico, com a inscrição de mais de uma centena de projetos. Cinco Negócios de Impacto social incubados na UNITEC vieram deste prêmio. Em outra frente, serão adaptados os critérios para seleção das propostas de negócios oriundos de editais, visando contemplar e avaliar aqueles com foco, direto ou indireto, no público de baixa renda. O Eixo de Empreendedorismo e Inovação é uma iniciativa da Unisinos no sentido de fomentar e desenvolver a educação empreendedora. Constitui um conjunto de três disciplinas integradas, inseridas nos currículos de mais de 50% dos cursos de graduação oferecidos pela Universidade, ministradas por uma equipe específica composta por 16 professores.

Apoio a empresas inovadoras na região Oeste do Paraná

Criada em 2006 no Parque Tecnológico Itaipu, a Incubadora Santos Dumont tem o objetivo de apoiar a geração, desenvolvimento e fixação de empresas inovadoras na região Oeste do Paraná, impactando principalmente na geração de emprego, trabalho e renda. Desde sua criação, já foram realizadas atividades de desenvolvimento empresarial para mais de 200 empreendimentos, dos quais surgiram 68 empresas com um faturamento de 31 milhões de reais. Em 2013, com a implantação do modelo CERNE e atualização da metodologia de incubação, a incorporação do tema negócios de impacto tornou-se estratégica para a Incubadora, que passou a atender tanto as necessidades de startups como as de empresas de perfil tradicional com potencial de inovação. Entre 2013 e 2015, foram captados 119 projetos, com 104 empreendedores capacitados em modelagem de negócio, e 10 novas empresas incubadas.

O objetivo é atuar com essa temática de forma transversal em todos os negócios desde a seleção até as empresas já incubadas. Para atrair empreendedores interessados, a instituição programou a realização de oficinas e palestras voltadas para negócios de impacto como parte do processo de sensibilização. Neste sentido, já está previsto no edital de 2016 para captação de projetos, atividades e critérios específicos para desenvolvimento do tema impacto. Em paralelo, será aplicado um diagnóstico de possibilidades de inclusão da temática em empresas já incubadas. Esse trabalho será realizado em Foz do Iguaçu (PR), cidade principal de atuação, e em Marechal Cândido Rondon (PR), cidade em que a Incubadora possui espaço cedido pela prefeitura para abrigar as empresas daquela região.

Um banco de oportunidades para negócios de impacto

O CEI – Centro de Empreendimentos em Informática, fundado em 1996, é uma divisão especial do INF/UFRGS que atua como uma incubadora de tecnologia e oferece suporte a projetos inovadores em Tecnologia da Informação. Considerada modelo de referência pelas agências brasileiras de avaliação, já incubou mais de 30 novas empresas de TI.

Em cinco anos, o CEI espera ser reconhecido como a incubadora líder no apoio a Negócios de Impacto no Rio Grande do Sul, a partir do seu portfólio de empresas graduadas geradoras de serviços ou produtos que tragam qualidade de vida a comunidades de baixa renda. Para tanto, foram estabelecidas as seguintes metas: iniciar o processo de incubação de, pelo menos, dois projetos de impacto em 2016; iniciar o processo de incubação de três projetos de impacto até final de 2017; consolidar um banco de oportunidades para Negócios de Impacto com, pelo menos, 15 projetos/ideias até o final de 2017; graduar uma empresa derivada de projeto de impacto até 2020; conquistar um prêmio de reconhecimento de nível nacional como Incubadora de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) relacionada a negócios de impacto.

Para preparar o processo de seleção, serão promovidas palestras com o tema Negócios de Impacto para difundir o interesse sobre o tema e mostrar a amplitude de possibilidades. Também serão prospectadas junto a professores e alunos da UFRGS pesquisas com potencial de geração de negócios de impacto, e criado um banco de oportunidades para investidores e empreendedores. No processo de seleção de projetos para incubação (com cinco vagas oferecidas em cada chamada), será incluída esta perspectiva temática como critério de análise de propostas. Assim, na classificação será dada prioridade a empreendimentos de impacto social, ou seja, os que tragam melhoria da qualidade de vida da sociedade. Para o atendimento, serão identificados profissionais especializados no tema, a fim de apoiar os novos empreendimentos, investidores e parceiros, para viabilizar o desenvolvimento desses projetos.

 



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial