Notícias

Notícias

Professores mobilizados pelo Programa Academia ICE enfrentam a crise da Covid-19 comprometidos com a educação e o bem-estar dos estudantes

Programa Academia ICE promove encontros virtuais com rede de professores para o compartilhamento de metodologias, ferramentas e conteúdos. 

Nos laboratórios de centros universitários e faculdades de todo Brasil e do mundo, pesquisadores e estudantes estão produzindo alternativas aos respiradores e equipamentos de proteção individual (EPI) – atualmente escassos no mercado – para profissionais da saúde, além de trabalhar na elaboração de uma vacina eficaz contra o novo coronavírus. Núcleos de pesquisa e observatórios de Ciências Humanas oferecem dados e tecnologias indispensáveis para entender e mitigar problemas sociais e econômicos decorrentes da pandemia. Para quem estava em sala de aula, encontrar novas maneiras de ensinar e aprender, ou se adaptar à educação à distância, é mais um desafio em razão do distanciamento social. 

Na rede de professores de Instituições de Ensino Superior (IES), mobilizada pelo Programa Academia ICE, as dificuldades relatadas motivaram o Conselho da rede, formado também por docentes, a criar a Comunidade de Prática – Sala de Aula Virtual, um novo espaço online para troca de experiências sobre metodologias, ferramentas, conteúdos e formas de acolher melhor os estudantes nesse momento. 

Segundo Adriana Mariano, gestora de programas do ICE, o encontro possibilitou a compreensão de que os caminhos assumidos pelas escolas para lidar com as limitações do momento foram distintos, variando de acordo com a natureza de cada IES e do perfil dos estudantes. “Observamos na Rede de Professores do Programa Academia ICE que os docentes têm níveis diferentes de experiência com plataformas e metodologias virtuais de ensino. De modo geral, as IES optaram pela sala de aula virtual”, comenta. 

O primeiro ciclo de quatro encontros da Comunidade de Prática, focado em atividades de ensino, está programado para acontecer semanalmente até 14 de maio. O ciclo começou em 23 de abril, com a apresentação de recursos de aprendizagem virtual pela professora Ruth Mello, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Também foram abordados temas como o caso prático da transferência da disciplina de Inovação e Empreendedorismo Social para o modelo online, metodologias ativas para sala de aula virtual e uso de casos de ensino em aula virtual. 

Compromisso com a educação e com as pessoas

Veja a seguir como algumas IES integrantes do Programa Academia ICE estão lidando com os desafios.

Universidade Católica de Pernambuco

A Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) lançou o portal UNICAP CO-VIDA, uma plataforma virtual que tem como finalidade reunir, divulgar e apoiar os diversos projetos e ações de colaboração e solidariedade que estão sendo realizados, tanto pela Universidade, como pela comunidade do entorno. As ações relacionam-se às áreas de tecnologias digitais de ensino, inovação para saúde e bem-estar social, assistência médica e psicológica à distância, apoio a comunidades em situação de vulnerabilidade social e outras. Destacam-se a reforma para reabertura do Liceu de Artes e Ofícios em parceria com a Prefeitura de Recife e a Jeito Novo, organização destinada a acolher pessoas em situação de rua. Acesse o portal.

Universidade do Vale do Rio dos Sinos 

A Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) desenvolve iniciativas de combate à pandemia em duas frentes. Pensando na crise econômica atual, alunos e professores do curso de Administração – Gestão para Inovação e Liderança (GIL) lançaram inscrições para um projeto de mentoria em gestão voltado a pequenos negócios em áreas como estratégia, finanças, marketing, operação, gestão de pessoas e outras. Saiba mais aqui. A outra proposta, que contou com coordenação da professora Isamara Allegretti, integrante da Rede do Programa Academia, foi a criação da Rede Solidária São Léo, que busca beneficiar 10 mil famílias em situação de vulnerabilidade de São Leopoldo (RS), a partir da distribuição de produtos alimentícios e de higiene. Saiba mais na página da Rede no Facebook e acesse o material de divulgação.

Universidade Federal do Pará 

A partir da criação do negócio social Anamã, alunos da ENACTUS, da Universidade Federal do Pará (UFPA), lançaram uma linha de produção de protetores faciais (do inglês, face shields) – equipamentos de proteção individual utilizados por profissionais da saúde – a partir do reuso de garrafas PET. Acesse a página do Anamã no Instagram

Universidade Federal de Santa Maria

Com apoio de 50 voluntários, entre eles a professora Débora Bobsin, da Rede do Programa Academia, professores e alunos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e de outras instituições de ensino superior, além de profissionais do mercado, criaram uma rede voluntária de apoio a trabalhadores e microempreendedores. Os atendimentos, que incluem assessoria em direito trabalhista, finanças pessoais e empresariais durante o período de isolamento, bem como em saúde e segurança do trabalho, são realizados por meio de canais virtuais. 

Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) 

Juntamente com outros professores e alunos, Katianny Estival, docente na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus, na Bahia, está promovendo mentorias voluntárias, gratuitas e online – via WhatsApp e telefone – para organizações, empreendedores sociais e microempreendedores. A iniciativa é realizada no âmbito dos projetos de extensão Administração com Arte e Escritório de Projetos e Consultoria. Semanalmente, Katianny promove de uma a duas lives em  sua página no Instagram, com temas relacionados aos impactos sociais, culturais, tecnológicos e econômicos da Covid-19 e assuntos como empreendedorismo feminino, criatividade, desenvolvimento humano e outros. 

Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) 

O Observatório de Inovação Social de Florianópolis (OBISF), projeto de pesquisa e extensão da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), está mapeando iniciativas de enfrentamento à crise da Covid-19 em Florianópolis (SC). Até o momento, foram listadas 35 iniciativas, entre fundos de apoio e ações promovidas por associações, movimentos da sociedade civil, governo e empresas da cidade. No site do OBISF, é possível consultar e indicar outras iniciativas que respondam aos desafios causados pela pandemia.

Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (ICOM)

Professoras da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) apoiam a criação de um Banco Comunitário e moeda social nas comunidades da Grande Florianópolis, iniciativa do Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (ICOM), com o intuito de estimular o protagonismo comunitário e a economia solidária durante a crise provocada pelo novo coronavírus. Em março deste ano, o Instituto lançou uma Linha de Apoio Emergencial com o objetivo de promover o acesso à alimentação, produtos de higiene e de limpeza em áreas de vulnerabilidade social. Até 20 de abril, mais de R$ 70 mil foram repassados para 14 intervenções em diferentes comunidades na região. Estima-se que mais de 800 famílias – cerca de quatro mil pessoas – já receberam cestas básicas e outros produtos. Para implementar essas ações, o ICOM criou um comitê consultivo formado por oito profissionais de diferentes áreas, para auxiliar na elaboração de estratégias e diretrizes para a aplicação dos recursos. 



ICE – Instituto de Cidadania Empresarial